O Judo (judo 柔道 - caminho suave) tem vindo a fascinar o mundo, tem vindo a despertar mentes e a criar atletas com uma filosofia que transcende o dojo, em si; ele é o ADN do próprio Judoca, a sua identidade. Este fascinante desporto de combate abrange ambos os sexos e pode ser praticado dos quatro aos cem anos de idade, com as devidas precauções, consoante a especificidade de cada Judoca. Não obstante, o Judo é muito mais do que um desporto; é uma filosofia de vida, é um conjunto de valores que trabalham para o crescimento interior do “eu”, aprimorando o respeito pelo próximo, independentemente das barreiras impostas.

 

Uma lenda antiga conta-nos que, num dia de inverno, durante uma forte tempestade, um médico reparou que os grossos galhos de uma árvore se quebravam com o vento e com o peso da neve, enquanto os mais finos, devido à flexibilidade, cediam, permitindo que a neve deslizasse para o solo, voltando à sua posição original. Provavelmente, o Ju-jutso (técnica de flexibilidade) teve origem nessa observação. Na época da decadência do Ju-jutso, Jigoro Kano (1860-1938), um jovem universitário de constituição franzina, sentiu-se atraído por esta técnica da flexibilidade e começou a dedicar-se ao seu estudo, sob os ensinamentos dos melhores professores de Ju-jutso da época. Jigoro Kano verificou que o Ju-jutso poderia tornar-se um excelente método de Educação Física e moral. Então, selecionou, modificou e aprimorou os diversos golpes que lhe foram ensinados, eliminando as técnicas perigosas e idealizando um novo Ju-jutso, mais completo, mais eficaz, muito mais objetivo e racional, denominado Judo e assente no código de honra dos samurais. Foi o Mestre Jigoro Kano o primeiro a comparar certos movimentos e a criar uma técnica pessoal superior a qualquer outra. Ele deu-lhe o nome de Judo: o caminho da suavidade.

 

Jigoro Kano, o fundador do Judo

 

Como tal, Judo é um termo japonês que significa “o caminho da suavidade”; este caminho deve ser interpretado como um princípio de vida. A razão pela qual Jigoro Kano adotou esta terminologia foi o facto de ser não apenas uma técnica ou uma arte (jutso) mas, antes de mais, uma doutrina (dô). No seu entender, a técnica e a arte são cultivadas, porém, a doutrina é a verdadeira essência do Judo. Jigoro Kano, o fundador do Judo, tinha o ideal de formar cidadãos responsáveis, através do treino físico e mental que o Judo promove. Esta filosofia tornou possível o estabelecimento duma camaradagem internacional entre os Judocas, bem como uma rápida expansão da modalidade. Sobretudo no Japão, o Judo é inserido no currículo escolar e um considerável número de organizações escolheram a prática do Judo com a finalidade primordial de formarem chefes responsáveis perante a sociedade.

 

Neste sentido, o novo Ju-jutso é muito mais do que uma simples reunião de golpes; é uma filosofia de vida que aposta na colaboração, na entreajuda e na partilha de momentos, experiências, conhecimentos e emoções.