O que distingue o Judo das restantes modalidades tradicionais utilizadas comummente na Educação Física, mais direcionadas para atividades coletivas, de oposição indireta, é o facto de ser uma modalidade individual de oposição direta; esta característica é categórica quanto ao seu valor pedagógico, visto que a sua origem é essencialmente educativa. Neste sentido, o Judo deve ser encarado, numa abordagem educativa, como um meio para a formação motora e como um fim para a formação cultural. Em termos de capacidades físicas, permite um trabalho motivador para o professor e para o aluno, estimulando o conhecimento do próprio corpo, da lateralidade e uma noção clara de autoconceito. O Judo é, precisamente, uma modalidade natural e espontânea, propiciando um contacto corporal salutar e edificante do “eu”. Por outro lado, possibilita, ainda, ao Judoca, a libertação direta de impulsos agressivos, mais ou menos inatos, conduzindo a uma regulamentação sócio afetiva. A relação com o outro quebra, assim, a noção de exclusividade do espaço, fomentando o autoconceito, a autoestima e o respeito pelo próximo.

O Judo encerra valores como a coragem, a sinceridade, o autocontrolo, a honra, a amizade, o respeito, a honestidade e traz benefícios vários, tais como a concentração, uma elevada autoestima, a cooperação, a disciplina, o aumento do rendimento escolar, a preparação para a vida futura e um consequente aumento das capacidades psico-motoras, cognitivas e sócio afetivas. Os objetivos gerais traçados por esta modalidade desportiva de excelência são o facto inegável de contribuir para a melhoria da qualidade de vida, promovendo sinergia e integração social entre a família, a escola e a comunidade. O Judo incentiva hábitos de vida saudável, excluiu o preconceito através de atividades lúdico-desportivas e proporciona um desenvolvimento cognitivo, psicomotor e sócio afetivo. Para além disto tudo, o Judo combate as desigualdades, a negligência, os comportamentos desviantes e o abandono escolar e luta contra o isolamento e o desajustamento social.

O Judo garante benefícios evidentes nos planos físico, psíquico e social dos atletas, permitindo uma integração progressiva e dinâmica do “eu”. Recomendado pela UNESCO como um dos desportos mais adequados para crianças e jovens, o Judo faz-se acompanhar de vantagens inquestionáveis, tais como o impulsionamento de habilidades e capacidades específicas do aluno, a preparação para uma convivência social equilibrada e a consequente introdução na vida profissional, o estímulo do interesse pela competição sadia, bem como a fermentação do indivíduo como um todo. Desta forma, o Judo traz mais-valias não só ao nível da preparação técnica dos alunos, mas de acordo com uma dialética pedagógica fortemente moldada a cada um. A prática regular do Judo contribui, vincadamente, para o controlo muscular, o aperfeiçoamento do reflexo, o desenvolvimento cognitivo e metafísico, o equilíbrio mental, bem como o reforço do caráter e da moral. Esta modalidade irá fortalecer a autoconfiança e a autoestima dos atletas, garantindo o respeito pelo próximo. Enquanto modalidade, encerra em si o cuidado do físico e do caráter, a disciplina, o equilíbrio mental e a humildade numa esfera multifacetada que gera cidadãos com competências cívicas, úteis à sociedade.

Logo, o Judo é uma excelente escola para o incremento da atenção, concentração e reflexão mental, aprimorando a noção de respeito por si mesmo e pelo próximo. Esta atividade de exceção irá estreitar relações e atenuar comportamentos eventualmente mais agressivos. O Judo será o veículo para uma postura de tranquilidade e autocontrolo, possibilitando a expressão da agressividade através do próprio corpo, auxiliando o equilíbrio diário da personalidade. A sua prática promove o respeito, a cortesia e a amabilidade, sendo a saudação o expoente mais elevado das virtudes sociais. No tatami, o respeito e cortesia pelo oponente distingue os grandes vencedores. As valências de tenacidade, esforço, cortesia, igualdade de espírito na vitória e na derrota, que encontramos no dojo, contribuem amplamente para a criação de valores e para uma inclusão coesa. O Judo tem uma identidade própria, com valores, normas e símbolos que o distinguem no quadro da dinâmica cultural de outras modalidades, sendo uma atividade de valor educativo inegável. Neste sentido, o Judo é a plataforma que ajuda os alunos a sentirem-se bem na sua vida quotidiana, a viverem em harmonia no ambiente que os rodeia, a serem cidadãos plenos.

A cortesia no Judo

Desde o início, o professor de Judo ensina o praticante a respeitar todo o cerimonial envolvente, a tornar-se mais paciente, atento e concentrado. No dojo, a cortesia revela-se em ínfimos pormenores, desde a saudação até à entreajuda na aprendizagem, na competição, ou no respeito pelo adversário, tornando o Judoca leal e reforçando o espírito desportivo. Este código de elevado ideal influenciou, durante muito tempo, o espírito dos nobres samurais e tem ensinado aos Judocas as suas virtudes cavalheirescas. Com o auxílio do Mestre, o Judoca adquire habilidade e perícia, através da repetição contínua das técnicas, aprendendo a não desistir e tornando-se exímio na execução técnica, procurando progredir de forma constante. O atleta lima as suas arestas, melhorando a sua força mental e a capacidade de superação, através de uma motivação interior que o conduz na sua caminhada. O resultado do esforço, dedicação e espírito de sacrifício proporciona o incremento de capacidades motoras e uma maior eficácia no tatami.